Um final inglório

A última jornada da edição 2019/2020 da Liga NOS reservou uma deslocação à ilha da Madeira para defrontar o Club Sport Marítimo. Num jogo marcado por um autêntico carrossel de emoções, o empate a três bolas acabou por se revelar um golpe muito duro para uma equipa que fez por merecer muito mais. Ainda assim, a temporada de regresso ao escalão máximo não foi beliscada e o conjunto liderado por João Pedro Sousa entrou, meritoriamente, na história do nosso clube.

A felicidade começou a parecer afastada dos famalicenses logo aos dois minutos. Um livre cobrado por Zainadine desviou na barreira e traiu Vaná. O Futebol Clube de Famalicão teve uma excelente reação e a baliza de Amir esteve em constante sobressalto no primeiro quarto de hora. A fortuna voltou a dar mostras de estar de costas voltadas quando o remate de Pedro Gonçalves embateu no poste e a recarga de Diogo Gonçalves também não teve a melhor direção.

Apesar do baque inicial, a equipa famalicense manteve o seu habitual perfil de jogo perante um adversário apenas apostado em aproveitar lances de contra-ataque. Os frutos da persistência viriam a ser colhidos já em cima do intervalo. Toni Martínez foi derrubado na grande área e Fábio Martins encarregou-se de restabelecer a igualdade.

Ora, a segunda parte viria, todavia, a ter traços idênticos aos da primeira. O Club Sport Marítimo recolocou-se na frente do marcador por intermédio de René Santos logo aos três minutos e o Futebol Clube de Famalicão voltou a ter de correr atrás do prejuízo. Mantendo a identidade de jogo, a equipa famalicense tentava manter a lucidez para conseguir voltar a empatar.

Os minutos iam passando, mas o Futebol Clube de Famalicão rejeitava deitar a toalha ao chão. A esperança na conquista dos três pontos viria a ser recuperada com o empate, num excelente gesto de cabeça de Roderick Miranda. A equipa famalicense continuou a carregar no acelerador e a reviravolta seria consumada por Rúben Lameiras. O extremo usou a sua inegável habilidade técnica e colocou pela primeira vez o Futebol Clube de Famalicão na frente do marcador.

No entanto, o Club Sport Marítimo não se deu por vencido e voltou a empatar a partida para desânimo de todos os famalicenses. Um desânimo que, todavia, não os poderá fazer esmorecer, por certo, o orgulho que sentiram ao longo de uma temporada que já tem lugar garantido na história do nosso #amordeperdicao

CS Marítimo 3-3 FC Famalicão
Estádio do Marítimo
Árbitro: Tiago Martins (AF Lisboa)

CS Marítimo – Amir, Bebeto (Erivaldo 75′), Kerkez, Zainadine, René Santos, Fábio China, Pedro Pelágio (Edgar Costa 90+4′), Nanu, Milson (Correa 83′), Getterson (Jefferson 90+4′) e Rodrigo Pinho (Bambock 90+4′)

FC Famalicão – Vaná, Ivo Pinto (Walterson 56′), Nehuén Pérez, Roderick, Coly (Centelles 69′), Gustavo Assunção, Uros Racic, Pedro Gonçalves (Guga 69′), Diogo Gonçalves, Toni Martínez (Anderson 69′) e Fábio Martins (Rúben Lameiras 77′)

Golos: Zainadine (2′); Fábio Martins (45+6′); René Santos (48′), Roderick (87′); Rúben Lameiras (90+1′) e Erivaldo (90+5′)